domingo, 10 de fevereiro de 2013

Kaká Werá no Sesc Pompéia

Em março, no Sesc Pompéia, estaremos apresentando as narrativas fabulosas inspiradas na tradição tupy, através do espetáculo"Nhemonguatá" - a arte de contar histórias - e também realizando um bata-papo com Kaká Werá sobre o tema. Vale a pena conferir!

sábado, 9 de fevereiro de 2013

Enquanto isso, no Rio de Janeiro

Cabral teve que reconhecer que a memória do Brasil deve ser preservada. Mas é um reconhecimento fictício. O prédio onde estão alojados a passagem de studiosos como Darcy Ribeiro e a presença de remanescentes indígenas que batalham pelo local ser um centro de referência, ainda está sob o desejo da política local de que seja destruído. Apareceu uma inexplicada tentativa de incendio.
Enquanto isso, o bilionário carnaval circula na cidade do Rio de Janeiro.

Aldeia Maracanã

Índios pedem ao governo que Centro de Referência seja mantido onde está


O documento foi enviado à Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), onde será analisado pelo secretário de Estado Zaque da Silva Teixeira e encaminhado para o governador Sérgio Cabral.

Os líderes da aldeia também requereram um termo de garantia oficial do governo para assegurar a sua presença no local:
"Os índios requerem ainda Termo de Garantia oficial, pelo Governo do Estado, para assegurar, entre outros: que o prédio seja tombado, restaurado e dedicado ao Centro de Referência da Cultura dos Povos Indígenas; que a Aldeia Maracanã participe do projeto de restauração e assuma a direção executiva do espaço; que mão-de-obra indígena seja empregada na restauração; que seja estipulado prazo da entrega de, no máximo, um ano e meio, contados a partir da formalização do Acordo; que seja permitida a permanência de um pequeno grupo de indígenas numa das casas do local para monitorar a obra, garantindo também a manutenção da posse", diz a carta.
Incêndio
Na madrugada desta sexta-feira, um incêndio assustou os indígenas. O Corpo de Bombeiros alegou que o fogo, que não fez vítimas, começou a partir de uma fiação  elétrica. A hipótese é contestada pelos índios e pela Defensoria Pública da União do Rio (DPU), que dizem se tratar de incêndio criminoso. Um boletim de ocorrência foi registrado na 18ª DP, na Praça da Bandeira.

Postagem em destaque

BIOGRAFIA DE KAKÁ WERÁ

  Educador. Terapeuta. Empreendedor Social.Ambientalista. Escritor Kaká Werá é psicoterapeuta de formação, de abordagem holística e tra...