Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009

Fabulosas Fábulas

Imagem
Em Sorocaba, a Expo-literária, exposição literária da cidade, reuniu escritores e artistas como: Ferréz, Maurício de Souza, Kaká Werá e a Cia Duberrô.
Através de um projeto que une arte, oficina e palestras, idealizado pelo Instituto Arapoty, a cidade pode absorver melhor conteúdos, valores, história e cultura indígena do Brasil. O objetivo é sensibilizar educadores e estudantes para a riqueza e diversidade dos saberes ancestrais.

Precisamos ajudar a acordar as pessoas

As águas e os ventos estão atuando no sul da país e muitos acham que são questões aleatórias e passageiras. Em São Paulo não existe mais as quatro estações. Acontecem todas em um mesmo dia. As pessoas estão dormindo acordadas. Políticos. Gestores. Gerentes. Diretores. Presidentes. Professores. Trabalhadores. Todos os tipos de profissões estão vivendo os seus papéis como se a vida fosse nada mais que estes papéis que representam.Embora existam atualmente economistas dizendo que não dá mais para separar economia de ecologia. Embora existam cientistas dizendo, além das imagens que vemos, que os polos derretem e as águas se elevam.Primeiro foi um Tsunami, e não podemos fazer algo, apenas sentimos.Aqui no Brasil foi o sul, e não fizemos nada porque moramos no sudeste, no norte, no oeste.Depois será o nordeste, e não faremos nada porque não somos nordestinos.Agora a metróple está um caos. E fizemos nada porque não moramos no caos.Na verdade não fazemos nada porque ainda estamos embalados po…

Marina Silva fala de Obama, Paz e Ambiente.

"Com apenas nove meses no cargo, a escolha surpreendeu a muitos, inclusive o próprio Obama, que o recebeu com humildade, ou, em suas palavras, como "um chamado". Ele precisa mesmo ser muito incentivado.
Para obter sucesso em seus esforços pela paz, Obama não poderá esquecer da questão ambiental. Comprometer-se em preservar o meio ambiente e reduzir a emissão de gases de efeito estufa também é buscar a paz. Especialistas apontam o colapso ambiental como provável causador de guerras e conflitos em um futuro sombrio no qual o mundo lutará por recursos naturais imprescindíveis, a começar pela água.
Projeções já feitas pelos serviços de defesa americanos mostram que as mudanças no clima representam grande desafio à segurança - não só em território americano como ao redor do mundo - diante da perspectiva de aumento de tempestades e secas, da ocorrência de migração maciça, de pandemias e de outros desastres naturais. "


Marina Silva

auto conhecimento

Caros amigos,

Nos próximos dias 24 e 25 de outubro estarei em São Paulo, na FACIS, abordando o tema que relaciona natureza e auto-conhecimento, a partir da visão tupi.
Este tema é resultado de mais de 20 anos de trabalho em campo, experiências pessoais e estudos da da bibliografia relativa á cultura tupi. O objetivo é apresentar ao interessado a maneira como os antigos sábios desta tradição ancestral brasileira se relacionaram com o equilíbrio da corpo e da mente através da natureza.


quem quiser saber mais,

http://www.facis.edu.br/

fone: (11) 5085-3141



A natureza como caminho de cura

A NATUREZA COMO CAMINHO DE CURA INTEGRAL
NA VISÃO DA SABEDORIA ANCESTRAL DO BRASIL

Para promover a saúde integral a ecomedicina tupy focaliza o cuidar preventivo e terapêutico dos níveis físico, psíquico e espiritual de ser humano, do espaço ecológico, e a importância de reverenciar a ancestralidade para a harmonia individual, social e planetária.
Objetivo Geral
Conhecer os recursos da natureza - como fontes de cura e apoio no processo terapêutico - provenientes da antiga cultura tupy que se desmembrou em diversas etnias e grupos ao longo do desenvolvimento histórico e cultural do Brasil; que perfazem aproximadamente doze mil anos. Metodologia
Conhecimentos e práticas criadas por kaká Werá – expressão corporal, exercícios vocálicos, meditação, compartilhar em grupo, mitologias indígenas – inspiradas e fundamentadas na tradição tupy, obtidas no decorrer de quinze anos, de visitas, convivência, aprendizado com etnias de matriz tupy e Jê; além de extensa pesquisa bibliográfica sobre história,…

reconstruindo cooperativamente

Imagem

Do caminho

O caminho que você segue tem coração?
Era a pergunta que o xamã Don Juan dos livros de Carlos Castanheda fazia ao seu discípulo.
Tem um sentido profundo?
É uma fuga?
Uma distração?
Uma aventura?
Nada destas questões são certas ou erradas. A questão é que o caminho é reflexo do nosso interior, do nosso estado de espírito, e ao atravessá-lo, toda paisagem, circunstância ou fato que ocorrerem é um reflexo de nós mesmos, daquilo que projetamos mesmo antes da jornada.
Então, o caminho que você segue tem um coração?